Ruby, Python e native threads

Pode ser que eu seja meio burro (heheh) mas eu ainda achava que o Ruby e o Python usavam Green Threads, mas depois de conversar com uma galera me disseram que eram threads nativas. Pesquisando na internet eu vi que eram mesmo, mas decidi rodar um strace para ver elas rolando e postar sobre isso. Fiz dois scripts simples: Python import threading import time for i in range(5): t = threading.

O Guru-SP e seus 5 anos de vida

Há pouco tempo aconteceu o encontro numero 31 do Guru-SP, e como sempre saímos (dessa vez estavamos @vinibaggio, @agaelebe, @nuxlli e @anderson_leite) para aquele velho momento de bate papo pós evento. Durante a conversa o @nuxlli perguntou sobre como o Guru-SP começou e nesse momento eu comecei a relembrar daquela velha tarde em 2008. Mas peraí… 2008!! O Guru-SP está próximo de fazer 5 anos de vida! :) Em pensar que tudo começou após um post do @agaelebe na Rails-br falando sobre criar grupos locais para conversar mais sobre Ruby e fazer encontros com mais frequência, o que gerou interesse de várias pessoas de São Paulo, que decidiram levar esse “projeto” pra frente.

XMPP e Ruby

Alguns (vários…) meses atrás eu fiz uma palestra pequena no Guru-SP(São Paulo Ruby Users Group) sobre Ruby e XMPP, os vídeos e slides estão disponíveis: Nessa talk eu mostrei como criar dois bots simples e como subir eles na sua conta do Gmail. A Gem blather tem uma DSL bem legal para trabalhar com XMPP em Ruby, mas nos meus testes funcionou muito melhor com ruby 1.9.3 do que com 1.

Semana de eventos (#rubyconfbr, #adl e #gddbr)

Na semana passada (semana do dia 24 ao dia 30 de outubro) foi uma semana de grandes eventos, que eu tive o prazer de participar de todos! :) Rubyconf Brasil A Rubyconf Brasil é o Antigo Rails Summit Latin America, que acontecia no centro de convenções do Anhembi, e agora mudou sua localização para o centro de convenções Frei Caneca, para diminuir os custos e prover um local mais acessível para os participantes (próximo ao metrô e a avenida paulista).

Conto da migração para Rails 3

Nesse post eu vou falar um pouco de como foi atualizar a aplicação que eu trabalho atualmente para Rails3. Em uma segunda feira eu tive a brilhante ideia de aproveitar que as tasks que eu estava fazendo estavam dependentes de algumas coisas que ainda não estavam feitas, e resolvi começar a atualizar a aplicação para Rails3 só para saber o trabalho que ia dar, e no final do dia eu já tinha feito todas as alterações necessárias para o boot da aplicação e para rodar a suite de testes (não fazer os testes passar, apenas rodar!

Crontab dentro da sua aplicação rails com whenever

Hoje estou aqui para falar de uma coisa que quando vi pela primeira vez ignorei por parecer uma coisa boba, mas olhando melhor eu percebi que é uma idéia bem interessante. O que a gem whenever faz é manter o seu crontab de uma forma mais Ruby, e melhor, dentro da sua aplicação! A principio parece estranho tentar manter o crontab dentro da sua aplicação, mas ganhamos muitas vantagens com isso:

Rails Summit 2009

Esse é um post para relatar como foi o Rails Summit Latin America desse ano! 😀 Já começo o post com um grande #win para a organização do #railssummit, por que eles tem tomadas para todos e wi-fi liberado para todos os participantes, o que ajuda para que pessoas como eu possam ficar postando no blog durante o evento, :) Vamos ao evento! Rails Insurgency – Chad Fowler A palestra foi muito interessante e o Chad Fowler falou sobre como é a dificuldade de implantar uma aplicação Rails em uma grande empresa quando você tem grandes gerentes que te enchem de perguntas do tipo: “Rails faz X?

Instalando gems do GitHub manualmente

Esse vai ser um post rápido para relatar um problema que eu tive ( e ainda estou tendo ) para instalar gems do GitHub. Por algum motivo bizarro (nem tanto assim, parece ser dns, mas já tentei opendns e nada) a página http://gems.github.com não abre de maneira nenhuma, enquanto a navegação continua normal sem nenhum problema… A consequência disso é que eu não consigo colocar o source do github nas minhas configurações do Rubygems.

Encontro de numero 5 do Guru-sp

Nesse sábado aconteceu o quinto encontro do Guru-sp! :) O encontro estava marcado para as 10 da manhã com uma seção para iniciantes e começou as 10:30 ( sempre atrasa um pouquinho né? hehe ), já com um bate papo legal coordenado pelo @rafaelrosafu após uma breve apresentação de todos os participantes. Rails para iniciantes Nessa primeira seção tiveram muitas conversas interessantes sobre algumas filosofias Rails, como: DRY REST TDD Test all the Fucking Time Skynny Controllers and Fat Models e mais algumas outras coisas bem interessantes que fomentaram uma ótima discussão sobre quais os melhores padrões para se seguir quando se constrói uma aplicação Rails (sim, falamos tomando como base uma aplicação Rails), como utilizar plugins como o ResourceController (que tem seus prós e contras), manter seus scripts num lugar diferente da pasta scripts, que é a pasta padrão para scripts “internos” do Rails e tentar centralizar em uma pasta dentro de lib, além de usar Rake sempre que possível para essas tarefas ficarem organizadas e de fácil acesso.

Começando a falar de Ruby

Se você já conhece Ruby, ignore esse post! A idéia do post é mostrar um pouco da linauagem Ruby para pessoas que não conhecem nada sobre ela. Eu, claro, acho muito interessante que muita gente por aí ainda não conhece Ruby, mesmo com a grande popularização do Rails, e eu chego a ouvir coisas assim: “Não é você que programa naquela linguagem esquisita?” Cheguei a ouvir do meu “professor de algoritmo” (perdeu meu respeito):